Tempo de leitura: 1 minuto

Enquanto a semeadura da segunda safra do cereal ocorre em alguns estados, como é o caso de Mato Grosso, em outros os trabalhos da colheita da primeira safra estão em fase inicial. É o caso do Rio Grande do Sul, que no dia 21 de fevereiro será palco da Abertura Nacional da Colheita da Primeira Safra de Milho no Brasil, realizada pelo Projeto Mais Milho.

O país deverá colher nesta safra 2023/24 de milho um pouco mais de 113,69 milhões de toneladas, segundo dados da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab). O volume representa um recuo de 13,8% em relação ao resultado do ciclo recorde de 2022/23. Muitos são os desafios para atual temporada, que tem o clima como principal vilão.

No Rio Grande do Sul as projeções para a temporada são de uma produção de 5,38 milhões de toneladas, um crescimento de 44,2% em comparação a safra 2022/23, castigada pelo clima seco, quando foram colhidas apenas 3,73 milhões de toneladas.

A abertura oficial da colheita do milho primeira safra será no município gaúcho de Ibirubá, no campo experimental da Vence Tudo.

O evento faz parte da oitava temporada do Projeto Mais Milho, uma realização do Canal Rural e Abramilho, com patrocínio da Aprosoja-MT, Senar-MT, Bayer, Vence Tudo, Inpasa e Ihara, e apoio da Brevant Sementes.

A abertura terá transmissão ao vivo a partir das 9h (horário de Brasília) no YouTube e Facebook do Canal Rural. Glauber Silveira, diretor-executivo da Abramilho, comenta que para o dia 21 de fevereiro estão sendo preparados dois painéis.

O primeiro painel abordará os desafios da safra, diante de tamanhas frustrações e quebras tanto no Rio Grande do Sul quanto no Brasil devido ao clima e ataque de pragas, falta de recursos e um seguro agrícola adequado, bem como os crescentes decretos de situação de emergência publicados em todo o país. “A pergunta que se faz diante desse painel é ‘Quais seriam as soluções políticas de apoio ao produtor?’. De modo geral estamos com uma previsão de menor oferta de milho em 2024 e custos ainda muito altos. A nossa esperança é que diante dessa menor oferta os preços subam”, salienta Glauber Silveira.

O segundo painel terá como foco as perspectivas para o milho nos curto e médio prazos. Em 2023 o Brasil se tornou o maior exportador do cereal e registrou recordes de produção, entretanto em 2024 vive um novo momento em decorrência do clima.

Oitava temporada do Mais Milho

O Mais Milho tem como principal característica levar informação constante aos produtores, técnicos, agrônomos e todos os envolvidos com a cultura. Foco no olhar de quem enfrenta obstáculos e encontra estratégias para superá-los e ajuda a fazer da agricultura brasileira referência no planeta.

O projeto é também uma iniciativa em busca de soluções para os desafios dentro e fora das fazendas, dando visibilidade ao que pensam as entidades que representam o setor, a pesquisa, tradings e grandes consumidores do grão brasileiro.

Compartilhe também no:

Família de Campos Borges perde tudo em incêndio e precisa de ajuda

Artigo anterior

IPE Saúde apresenta novo modelo para remuneração de hospitais credenciados

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.