Tempo de leitura: 1 minuto

Atendendo a um pedido da Secretaria da Saúde (SES), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) flexibilizou as regras para a dispensação de amostras grátis de medicamentos. De caráter temporário e excepcional, a medida busca possibilitar a doação de amostras grátis pelas indústrias farmacêuticas aos municípios e a distribuição delas para a população por meio de farmácias municipais.

A solicitação foi feita pela SES, por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), após identificar a dificuldade de distribuir medicamentos em alguns municípios gaúchos. O pedido encaminhado à Anvisa relata as dificuldade nos estoques para abastecer a lista de medicamentos essenciais em, pelo menos, três municípios: Eldorado do Sul, Guaíba e Porto Alegre.

“Tão logo iniciaram as enchentes, toda a indústria farmacêutica nacional fez esforços para que fossem enviados medicamentos e insumos para o Rio Grande do Sul, alguns deles amostras grátis. Identificamos que alguns municípios estavam com dificuldade de disponibilizar para a população os medicamentos recebidos nesse formato, motivo pelo qual foi feita a solicitação para a Anvisa, permitindo que as medicações possam chegar de forma mais rápida a quem precisa”, explicou o diretor do Departamento de Auditoria do Sistema Único de Saúde, Bruno Naundorf.

O pedido do Rio Grande do Sul foi atendido na sexta-feira (24/5) pelo diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, em decisão provisória e imediata, chamada tecnicamente de ad referendum, que deverá ser acatada posteriormente pela Diretoria Colegiada da Anvisa. O Conselho Federal de Farmácia também se manifestou favorável à flexibilização da norma, disposta na RDC 60/2009.

No voto, Barra Torres segue o entendimento técnico da Gerência de Inspeção e Fiscalização Sanitária de Medicamentos e Insumos Farmacêuticos (Gimed), que orienta que sejam observadas as condições de armazenamento, transporte e prazo de validade, além da correta documentação sobre destinação dos medicamentos.

O presidente da agência também indica que a dispensação dos remédios para a população seja rigorosamente monitorada e supervisionada por profissionais de saúde, para evitar erros de medicação e a entrega a pacientes com contraindicações.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom

gov do RS

Compartilhe também no:

DOIS LAJEADOS | CRAS desenvolve atividades com grupo da terceira idade

Artigo anterior

Em até dois meses, EGR planeja liberar a trafegabilidade na ERS-129 entre Vespasiano Corrêa e Muçum

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.