Tempo de leitura: 1 minuto

A proposta de 2,21% de reajuste no salário mínimo regional, defendida por entidades patronais, foi rejeitada pelos representantes de centrais sindicais na tarde desta terça-feira (9/4), em reunião do grupo de trabalho do Comitê de Valorização do Piso Salarial do Rio Grande do Sul, ocorrida na sede da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Profissional (STDP).

Com isso, a STDP irá mediar o próximo encontro do comitê, que será em 23 de abril, com o objetivo de aproximar e conciliar os índices requeridos pelos dois lados. As representações dos trabalhadores defendem que o aumento do piso regional deve ser de 8,45%.

O relatório final das negociações realizadas pelo comitê deve ser apresentado pela secretaria ao governador Eduardo Leite até 30 de abril. A partir daí, o Executivo formulará o projeto de lei a ser encaminhado para a Assembleia Legislativa.

Texto: Raul Fernandes/Ascom STDP
Edição: Secom

gov do RS

Compartilhe também no:

GUAPORÉ | Obras de mais um lance de arquibancadas do Ginásio Municipal Multiuso começarão em breve

Artigo anterior

Inflação oficial recua para 0,16% em março, diz IBGE

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.