Tempo de leitura: 1 minuto

O acompanhamento diário das ocorrências para traçar estratégias de combate ao crime resultou em uma redução histórica dos homicídios em março. Em comparação com o mesmo período de 2023, a queda foi de 40%, passando de 172 crimes para 103.

O índice alcançado no principal indicador de criminalidade é o menor em comparação com qualquer outro mês desde o início da série histórica. Ao se considerar os recordes de baixas nos roubos a pedestres e de veículos, março pode ser considerado o mês mais seguro no Estado desde 2010, quando os dados começaram a ser mensurados.

O titular da Secretaria da Segurança Pública, Sandro Caron, reforça o compromisso das instituições da pasta para reduzir cada vez mais os indicadores de criminalidade.

“As ações integradas da Brigada Militar e da Polícia Civil têm sido essenciais para a redução dos crimes no Estado. Destaco o trabalho de cada homem e mulher da segurança pública para a obtenção dos resultados e reforço que vamos apertar ainda mais o cerco contra o crime organizado para reduzir os índices ainda mais”.

É o segundo mês consecutivo que o RS apresenta queda nos homicídios. Porto Alegre segue como grande destaque positivo, com 73% de redução em relação a março de 2023. Outros municípios apresentaram reduções expressivas, como Passo Fundo (64%) e Tramandaí (83%). Se forem considerados os 23 municípios abrangidos pelo programa RS Seguro, que foca naqueles mais populosos e estratégicos, a queda foi de 56%.

A queda expressiva dos homicídios em março resultou em uma redução do acumulado até o momento. O primeiro trimestre de 2024 teve 52 casos a menos do que o mesmo período de 2023, uma queda de 10%. No caso dos municípios do RS Seguro, a queda foi de 17%.

Outro crime contra a vida acompanhado com rigor pelas forças de segurança é o latrocínio (roubo seguido de morte). Em março, o indicador não teve variação estatística, tendo sido registrados seis casos tanto em 2023 e 2024. No trimestre, o índice teve redução de 31%. Foram 16 casos em 2023 contra 11 em 2024.

Redução da violência contra a mulher

Em comparação com o mesmo período do ano passado, os feminicídios tiveram uma queda expressiva de 70% em março. Enquanto em 2023 foram registrados 10 casos de morte de mulheres em razão de gênero, neste ano foram três. Nenhuma das vítimas estava sob medida protetiva de urgência.No trimestre, a redução foi de 19%, comparando os 26 registros de 2023 com as 21 ocorrências em 2024.

Reduções históricas nos crimes patrimoniais

Entre as prioridades das forças de segurança está a redução dos crimes patrimoniais. Roubos e furtos impactam diretamente na sensação de segurança e na qualidade de vida da população. Os principais índices avaliados têm apresentado quedas históricas.

Pela sétima vez consecutiva, o número de crimes de roubo a pedestre é o menor já registrado. Os 1.411 casos registrados em março significam uma redução de 44% em comparação com o mesmo mês em 2023.

Os roubos de veículos também registraram o menor total em relação a qualquer mês já registrado. Foram 211 casos contabilizados em março, uma redução de 48% em relação ao mesmo período de 2023. O trimestre também encerrou em queda. Enquanto no ano passado mais de mil veículos foram roubados, no primeiro trimestre de 2024 foram registrados 759 casos, uma queda de 37%.

Em Porto Alegre, houve 73 registros de roubos de veículos no mês, uma redução de 54% em comparação com os 157 casos registrados no mesmo período de 2023. Assim como no Estado, esse é o menor total da série histórica também na Capital.

As ocorrências em estabelecimentos comerciais e no transporte coletivo também tiveram importante redução no mês de março. A redução de ocorrências no comércio foi de 29%. No transporte público, a queda foi mais expressiva, com 66% de redução.

Crimes no campo seguem em baixa em todo o Estado

A segurança para o agronegócio também é prioridade das autoridades, já que a atividade é uma das principais matrizes econômicas do Estado. Tanto o mês de março quanto o primeiro trimestre terminaram com quedas expressivas nos crimes de abigeato (furtos cometidos no campo). No mês, a redução foi de 29%. Desde janeiro, esse tipo de crime acumula queda de 26,5%.

Nos últimos anos, foram criadas as Delegacias de Polícia Especializadas na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato (Decrab), cujo trabalho é realizado atualmente em quatro unidades regionais, e a Delegacia de Polícia Online do Agro (Agrodol). A Brigada Militar tem atuação permanente de policiamento e gestão em áreas rurais e de fronteira.

Texto: Lurdinha Matos/Ascom SSP
Edição: Rodrigo Toledo França/Secom

gov do RS

Compartilhe também no:

GUAPORÉ | Administração Municipal investe em melhorias no Centro Social Urbano

Artigo anterior

UNIÃO DA SERRA | Declaração Anual de Rebanho em 2024

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.