Tempo de leitura: 2 minutos

Uma semana antes de completar 75 anos, a cooperativa inaugura queijaria que produzirá cinco tipos de queijos a partir de julho

 

A Cooperativa Dália Alimentos ampliou seu portfólio de produtos com a inauguração da queijaria no dia 8 de junho. A indústria está localizada no bairro Aimoré, em Arroio do Meio e a partir de julho, além da produção de nata, passará a fabricar cinco tipos de queijos.

 

O evento, que iniciou às 14h, reuniu os presidentes Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas e do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini, vice-presidente Pasqual Bertoldi, conselheiros, gerentes de divisões da Dália, supervisores, equipe comercial e distribuidores. Além dos representantes da Dália, a solenidade contou com a imprensa regional, os poderes Executivo e Legislativo de Arroio do Meio, Edson Brum, que recentemente assumiu o cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e cooperativas parceiras, Languiru, Santa Clara, Vale Log, Ocergs e representantes de instituições do Sindicato do Trabalhador Rural (STR) e Emater-RS/ASCAR.

 

Para implantação dos equipamentos foram investidos 14 milhões de reais e abrange onze setores, sendo estes, silos de armazenamento de leite e soro, salas de processamento, de salga, concentração de soro, maturação, defumação, fatiamento, câmaras frias com capacidade de 280 toneladas de armazenamento e câmara de embalagem secundária. A unidade deve empregar, ao todo, 71 profissionais, contabilizando os funcionários que atuam na produção de nata dessa unidade. Atualmente, a produção de nata gira em torno de seis a dez toneladas/dia, porém, a capacidade máxima é de 16 toneladas.

 

Na indústria os cinco tipos de queijos produzidos serão provolone, prato, colonial, coalho e muçarela, este último o de maior volume a ser produzido, correspondendo a 70% de consumo no mercado brasileiro. Ao todo, serão 22 embalagens para diversos tamanhos e formatos dos cinco tipos de queijos, variando entre peças de 4kg e fatiados de 150gr.

 

Anos de 1990

 

Na solenidade, o presidente Executivo lembrou da história da unidade de laticínios localizada no bairro Aimoré. “Essa fábrica tem uma grande trajetória. Em 1965 ela foi adquirida, mas somente em 1996 teve início a produção de leite UHT. Naquele mesmo ano foi adquirida a primeira máquina para envase de leite da marca Tetra Pak, com capacidade para apenas seis mil litros de leite/hora e, com o avanço da demanda, outras três foram adquiridas”, recorda.

 

Freitas resgatou que na era de 1990, a unidade em Aimoré recebia entre 15 e 25 mil litros diários para a produção de queijos (na época, de forma artesanal) e de leite em saquinho. Com a tecnologia UHT, para fabricação de leite em caixinha, a menor máquina chegava a exigir pelo menos 100 mil litros diários de leite, ampliando a produção e alcançando o mercado nacional.

 

O presidente recordou que nessa mesma década foi firmada a primeira parceria público-privada com o município de Arroio do Meio, na época administrado por Paulo Steiner. “Essa parceria rendeu muito e por isso, repetimos a parceria para a construção do Complexo Lácteo e avícola em Palmas”, salienta Freitas.

 

Além de relembrar o histórico da unidade, o presidente executivo agradeceu a todas empresas da região e de outros estados que prestaram serviços para implantação da indústria. Além de empresas terceirizadas, Freitas agradeceu e mencionou o BRDE, um dos maiores investidores das praças industriais da Dália e lembrou dos trabalhadores da cooperativa. “Ninguém faz nada sozinho. É por isso que tenho uma grande equipe, com vários gerentes de diversas áreas. Nesta indústria em especial, agradeço ao gerente Antônio Maria Salazar Leivas e o supervisor responsável pela produção, o mestre queijeiro Amado Mendes Ambrósio”, afirma. Carlos também frisou a importância de parcerias com outras cooperativas, como a Santa Clara, que produz queijos há décadas e a Languiru.

 

Destemidos

 

Em seu pronunciamento, o Presidente do Conselho de Administração cumprimentou a diretoria da cooperativa entre autoridades, outras cooperativas e demais presentes. “A concretização da produção de queijos marca um momento importante para a Dália, pois estamos completando 75 anos de fundação”, afirmou Piccinini.

 

Citou a trajetória durante essas sete décadas e meia, onde até 2017, a pesquisadora Tânia Tonet (In memoriam) publicou um livro intitulado “Destemidos – O Espírito Cooperativista dos Probos de Rochdale ao Empreendedorismo Neocooperativista da Dália Alimentos”, que conta a história da imigração italiana e alemã ao Brasil e os 70 anos da cooperativa, além de abordar os conceitos do cooperativismo. “O desafio de viabilizar grandes investimentos é o de conquistar novos mercados e são esses feitos que nos fazem ser destemidos”, frisou o presidente.

 

“O RS tem pressa e temos que fazer acontecer”

 

Recentemente como conselheiro do TCE/RS, Brum destacou a importância da Dália para o estado, a quem agrega desenvolvimento econômico e social. “Com as reformas feitas no RS e a desburocratização, estamos convidando empresas catarinenses a se instalarem no estado gaúcho, com o desconto de praticamente metade do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e de Serviços (ICMS). Já levamos o Fundo de Operação Empresa (Fundopen/RS) a 121 indústrias do RS, que terão a mesma alíquota reduzida após sua ampliação”, revelou. O agora conselheiro, detalhou que os critérios para o aumento de descontos nas alíquotas de impostos estão: remuneração salarial, uso de energia renovável, tratamento de água, papel social e desenvolvimento econômico, onde as cooperativas têm pontuação diferenciada. “O RS tem pressa e temos que fazer acontecer”, enfatiza.

 

Orgulho para o município

 

Já o prefeito de Arroio do Meio, Danilo Bruxel, com orgulho da Dália, relembrou de 1997, quando era vereador e o município vivia um momento crítico na sua economia. “Empresas haviam fechados as portas e mais de mil pessoas estavam desempregadas, mas a cooperativa procurou o poder público para começar a envasar as caixinhas de leite, sendo um grande passo para a diversificação da economia para não depender apenas de um setor”, reforça.

 

Além disso, Bruxel relembrou de quando foi prefeito pela segunda vez, em 2006 e 2007 e adquiriu 30 hectares para dar condições à construção da fábrica de leite em pó e posteriormente ao complexo avícola. “É um orgulho fazermos parte da viabilização de produtos exportados para diversos países”, finalizou.

 

Visita guiada

 

Após os atos oficiais, o público presente pôde conhecer as instalações da queijaria. A visita foi conduzida pelo gerente da Divisão Produtos Lácteos (DPL), Salazar e acompanhada pelo supervisor da queijaria, Amado Mendes.

Legenda: Presidente do Conselho de Administração,
Gilberto Antônio Piccinini, Prefeito de Arroio
do Meio, Danilo Bruxel, Conselheiro do Tribual
de Contas, Edson Brum, Presidente Executivo,
Carlos Alberto de Figueiredo Freitas,
vereador Marcelo Schneider, secretário de Desenvolvimento
Rural, Pesca e Cooperativismo,
Tarcísio Mineto, Gerente da Divisão Produtos
Lácteos, Salazar Maria Antônio Leivas

Foto: Kástenes Casali

 

Assessoria de Imprensa Cooperativa Dália Alimentos

 

Jornalista Kástenes Casali

Compartilhe também no:

Anvisa: negociações sobre autotestes para dengue estão em andamento

Artigo anterior

Vice-governador se reunirá com alunos de escolas técnicas e representantes de empresas em encontro do Programa Partiu Futuro

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.