Tempo de leitura: 1 minuto
O Rio Grande do Sul deverá receber da União um total de R$ 32,2 milhões para organizar e ampliar o acesso aos procedimentos de cirurgias eletivas e consultas especializadas, principalmente aqueles com demanda reprimida. A verba está prevista no Programa Nacional de Redução das Filas de Cirurgias Eletivas, Exames Complementares e Consultas Especializadas, instituído nesta segunda-feira (6/2) pelo Ministério da Saúde, por meio de publicação da Portaria nº 90 do órgão federal. A previsão é de um repasse inicial de R$ 10,7 milhões, e o restante de acordo com a apuração da produção dos serviços.
“A iniciativa é muito bem-vinda e vai ajudar a desafogar parte da lista de espera por consultas e procedimentos cirúrgicos. Já estamos trabalhando para mudar essa realidade”, destaca a secretária da Saúde, Arita Bergmann.
O programa federal vem ao encontro do Cirurgias+, uma iniciativa do governo do Rio Grande do Sul, por meio da Secretaria da Saúde (SES), para atender às demandas represadas de consultas, exames e cirurgias em sete especialidades com maiores filas e maior tempo de espera da população. São elas: traumatologia, cirurgia geral, cirurgia vascular, otorrinolaringologia, oftalmologia, ginecologia e urologia. A iniciativa, lançada em maio de 2022, conta com recursos de R$ 85 milhões do Tesouro do Estado, ao longo de 12 meses.
O incremento previsto pelo Cirurgias+ à população é de 72 mil cirurgias e 94 mil consultas especializadas, que serão realizadas nos mais de 70 hospitais homologados. Do recurso destinado para o Cirurgias+, cerca de R$ 30 milhões já foram solicitados pelos hospitais e autorizados pelo Estado – o que representa 41.304 cirurgias e 102.604 consultas, das quais já foram realizadas 8.237 cirurgias e 11.242 consultas.
Com informações: Fernando Kopper – Tua Rádio Cristal
Compartilhe também no:

ENCANTADO | Novas praças recebem brinquedos

Artigo anterior

Top 12 Free Video Chat Websites To Chat With Strangers 2023

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.