Tempo de leitura: 1 minuto
Cerca de 12 horas após o registro do primeiro homicídio de 2024 em Guaporé, policiais da Brigada Militar (BM), equipe da Força Tática (FT), juntamente com agentes da Delegacia de Polícia Civil (DP), de Guaporé, com apoio da DP de Serafina Corrêa, apreenderam no final da tarde da segunda-feira, dia 19 de fevereiro, por volta das 17h50min, o veículo que teria sido utilizado por dois criminosos na morte de Jacir Nunes Garcia, de 36 anos, e na tentativa de morte do seu irmão, de 45 anos. No imóvel, localizado na Linha Porto Alegre – Capela São José, zona rural de Serafina Corrêa, prenderam um homem, de 27 anos, de nacionalidade paraguaia. Ele estava acompanhado de uma mulher, de 29 anos.
Após o crime, policiais passaram a coletar informações para identificar quem eram os responsáveis. Descobriram que dois homens, a bordo de um veículo pequeno, de cor branca, haviam efetuado diversos disparos de arma de fogo (espingarda calibre 12 e pistola calibre 9 mm) em direção a Jacir e seu irmão. Foram informados que os suspeitos empreenderam fuga em direção à cidade vizinha e poderiam estar refugiados em uma propriedade na Linha Porto Alegre, no interior. O imóvel, conforme o apurado, era utilizado como base e esconderijo por uma associação criminosa (facção) na região.
Policiais civis e militares passaram a efetuar averiguações. A equipe da FT visualizou um automóvel estacionado na garagem. Ele possuía as características levantadas durante os trabalhos de investigação. Junto com agentes das DPs, verificaram que se tratava de um Renault/Sandero GTL 16H, roubado em Porto Alegre e que possuía placas clonadas.
Na residência, estava o paraguaio que, ao ser indagado, entregou as chaves do veículo. Ele não esboçou reação ao ser abordado. Diante da constatação da adulteração de sinal identificador e receptação, recebeu voz de prisão e foi conduzido, juntamente com a companheira, à DP de Guaporé para os procedimentos legais. Posteriormente foi encaminhado para o sistema prisional gaúcho onde permanecerá à disposição da Justiça. A mulher, após depoimento, foi liberada. As armas utilizadas nos crimes ainda não foram localizadas.
Investigação
As atividades prosseguem para identificação e prisão da dupla responsável pelo primeiro crime violento intencional contra a vida de 2024 em Guaporé.
Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM
Compartilhe também no:

Processo Assemblear do Sicredi Região dos Vales inicia em março

Artigo anterior

Novo espaço voltado à recuperação de ativos do Estado é aberto em parceria com o Ministério Público

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.