Tempo de leitura: 1 minuto

Pelo segundo ano consecutivo o Rio Grande do Sul tem sofrido com a falta de chuvas constantes e em volumes consideráveis. Prejuízos, principalmente no setor primário, estão sendo contabilizados pelos municípios. Mais de 300 encaminharam ao Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD), da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), protocolos de situação de emergência. Guaporé, apesar de perdas de aproximadamente 35% na cultura do milho, ainda analisa o cenário junto aos produtores rurais para uma possível decretação.

A maior preocupação do Poder Público, através da Secretaria da Agricultura, Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (COMPDEC), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e Emater/ASCAR-RS, é a água para o consumo humano e animal na zona rural. Diferente do que aconteceu nos meses de dezembro de 2021, janeiro e fevereiro de 2022, quando mais de 30 propriedades foram atendidas e dezenas de famílias do campo sofreram com a escassez do recurso hídrico, a situação é de menor apreensão para as autoridades, porém, inspira cuidados em pontos específicos.

“Estamos apreensivos e analisando dia após dia a situação da estiagem no Estado. Dos últimos cinco anos, em três decretamos situação de emergência. Continuamos enfrentando as altas temperaturas e dias que se apresentam muito secos. A dificuldade é que parte do município de Guaporé recebeu uma quantia significativa de chuvas e outra não. A condição, se compararmos ao ano passado, é muito melhor. A decretação se caracteriza, em especial, pelo dano humano e verificamos que há poucos produtores necessitando”, disse o coordenador da COMPDEC, Rafael Pissetti.

As entregas de água para o consumo humano e animal, com o caminhão-pipa e um trator da Secretaria da Agricultura, estão sendo realizadas na Linha Ernesto Alves, Linha 6ª – Comunidade São Roque, Linha 3ª – Comunidade Britola, Linha Segunda – Comunidade São Miguel, Linha 3ª – Comunidade São Luiz e Linha Monte Cuco. Atendimentos para abastecimento de água foram também para o Hospital Manoel Francisco Guerreiro e um ponto no bairro Pinheirinho.

“As perdas são bem menores nas culturas e a distribuição de água com o caminhão-pipa se resume a, no máximo, de 10 famílias do interior. Em duas delas o problema está resolvido e, sempre que somos solicitados, atendemos o Hospital de Guaporé. Nossos voluntários estão sempre à disposição. Nossa maior preocupação é não deixar faltar água para o consumo humano”, afirmou Pissetti.

O Secretário da Agricultura, Edelvan Balbinotti, salienta que os todos os pedidos são atendidos, mas é importante que as famílias tenham a consciência que nem sempre é possível levar água na hora que elas pedem.

“Às vezes demora porque há muita demanda e os pedidos chegam quase todos ao mesmo tempo. É uma correria, mas nunca deixamos ninguém desassistido. Procuramos atender todos o mais rápido possível e da melhor forma com os recursos que temos à disposição como o caminhão-pipa da Defesa Civil e o trator da Secretaria”, disse.

A COMPDEC conta ainda com o Viniliq Pipa, reservatório de água que se adapta a qualquer carroceria e é de fácil manuseio. Se houver a necessidade, este também vai auxiliar na distribuição de água para o consumo humano.

 

Data: 16/02/2023 13:21:53
Autor: Eduardo Cover Godinho

fonte: Rádio Aurora

Compartilhe também no:

Governo promove reunião para avaliar ações de vigilância contra a gripe aviária

Artigo anterior

Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 5

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Mais Geral