Tempo de leitura: 1 minuto

Na tarde de quinta-feira, 25 de janeiro, as entidades representativas dos fumicultores receberão empresas fumageiras, para mais uma rodada de reuniões de negociação de preço do tabaco para a safra 2023/2024. As reuniões, individuais, ocorrem em formato híbrido.

Segundo o presidente da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Marcilio Drescher, os encontros só acontecem com empresas que tem, concretamente, propostas de reajuste a oferecer. “Nas últimas reuniões ficou definido que a reposição da variação do custo de produção é obrigação de cada empresa integradora. E, também é necessário um ganho real para os produtores. E é, a partir desse ganho real, que iremos nos sentar para negociar”.

Com a JTI foi assinado protocolo no dia 15 de janeiro com a reposição do custo de produção e um ganho real de 2,94% no Virgínia e de 8,33% no Burley. “A JTI já vem com a tabela mais alta de preços mínimos, pois vem reajustando com as variações dos custos de produção de cada safra. Por isso, a representação assinou o protocolo com a empresa, com esta porcentagem de ganho real”, destaca Marcilio.

O objetivo da comissão é buscar uma equiparação das tabelas de preço e uma rentabilidade para o produtor. A proposta da comissão é a variação do custo de produção de cada empresa mais 5 pontos percentuais.

A comissão representativa dos produtores de tabaco é formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

 

Texto e foto: Jorn. Luciana Jost Radtke

Tags: TabacoPreçoNegociação

Compartilhe também no:

ANTA GORDA | REURB – Loteamento Jardim das Oliveiras

Artigo anterior

ITAPUCA | Mais uma etapa do asfalto já se tornou realidade

Próximo artigo

Você também pode gostar

QUER COMENTAR SOBRE ESTÁ NOTÍCIA?

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.